belarecatadaedolar

Na manhã desta quarta-feira pré-feriado, algo tomou conta das mídias sociais: A publicação da revista Veja.

Muita gente nem é leitor da revista. Muita gente poderia ter a curiosidade despertada pela vice-primeira-dama ser o assunto da publicação feita pela revista mesmo com todos os recentes acontecimentos políticos. Tudo isso e muito mais ficou em segundo plano devido a um simples “deslize” da redação do famoso periódico. No título da publicação, ao se referir a Marcela Temer, a Veja descreveu a ex-Vice- Miss São Paulo, e agora Senhora Temer, como “Bela, recatada e ‘do lar’.

Deus perdoa. A internet não. Bastou chegar ao conhecimento da galera que o assunto virou um dos mais comentados do Twitter. Além disso, inúmeros memes surgiram e, obviamente, um pesado – e totalmente justificável – ativismo mais uma vez se levantou em defesa dos direitos da mulher de estar e ser exatamente o que elas quiserem.

Em pensar que tudo isso se deu por apenas um “deslize”. Mas, será que foi “deslize” mesmo? Acho que nunca saberemos. A parte boa é que não é isso o que nos interessa ao escrever sobre o ocorrido, mas a necessidade de atentar para um fato que, ao menos aqui na Zion, se tornou quase que um mantra: é preciso conferir e re-conferir a ideia antes de criar qualquer coisa, e conferir e re-conferir a criação antes de produzir qualquer coisa, e conferir e re-conferir antes de veicular qualquer coisa. Não é só pelo politicamente correto, nem só por a gente querer que saia sempre tudo perfeito, mas para não ocorrer coisas como esse episódio protagonizado pela Veja e que gerou tanto rebuliço.

E, só pra constar: Sim, nós chegamos a cogitar a possibilidade que a Veja seja partidária da política do “Falem mal, mas falem de mim”, mas a nossa pergunta sincera para você é se, ainda que por um acaso, a brilhante ideia do #BelaRecatadaEDoLar tenha sido concebida por alguém da revista propositalmente, isso realmente faz algum sentido em tempos nos quais as pessoas têm sido cada vez mais enfáticas e incisivas ao defenderem seu ponto de vista? Será mesmo uma atitude inteligente usar algo assim de propósito somente pelo buzz? Acreditamos que NÃO, não vale a pena, e a razão pode ser conferida AQUI.

Deixe um comentário